Saúde pública levada a sério

Garantir uma cidade mais humana, atenta às necessidades das pessoas, é possível fazendo uma gestão focada na oferta de serviços públicos de excelência. E quando o assunto é saúde pública, não estamos falando apenas de um direito constitucional do cidadão, e sim de qualidade de vida. Algo que não pode ser negligenciado pelas autoridades e que em Blumenau é levado muito a sério. Considerada um dos pilares da nossa gestão, tornamos a saúde pública do município referência nacional. Alcançamos o 1° lugar de Santa Catarina e o 12° do Brasil em saúde pública, segundo pesquisa divulgada pela Fundação Getúlio Vargas.

Para oferecer um serviço cada vez melhor aos blumenauenses, adotamos uma série de medidas e realizamos investimentos expressivos em saúde pública. De 2013 a 2015, por exemplo, quase R$ 400 milhões foram aplicados na compra de medicamentos, reforma de unidades de saúde, contratação de novos profissionais e muito mais. São R$ 153 milhões a mais do que o mínimo estipulado por lei. Somente de repasses aos Hospitais Santo Antônio, Santa Isabel e da Vila Itoupava foram cerca de R$ 50 milhões. Tudo para garantir a manutenção do serviço prestado aos nossos cidadãos.

Nestes quase quatro anos de gestão, também foi possível tornar realidade projetos importantes como o Remédio em Casa. Um programa com capacidade para beneficiar centenas de famílias que precisam receber os medicamentos em domicílio por dificuldades de locomoção. Uma medida que além de dar mais comodidade aos pacientes, também garante a continuidade e a eficácia do tratamento médico.

Outras medidas, como a ampliação do horário de atendimento de quatro dos sete Ambulatórios Gerais até a meia-noite, também têm feito toda a diferença no dia a dia das pessoas que vivem em Blumenau. Já são mais de 60 mil atendimentos realizados apenas no período das 21h às 24h. Isso é garantir acesso à saúde pública e auxiliar na redução da superlotação das emergências dos hospitais públicos.

As filas de espera em especialidades médicas foram outra preocupação permanente em nossa administração. E os números mostram que todos os esforços valeram a pena. Na dermatologia, por exemplo, a redução foi de 86% e o tempo médio de espera por uma consulta caiu de 7 para 2 meses. A redução da fila de espera na angiologia também foi expressiva, chegando a 74%, bem como nas cirurgias vasculares, que teve queda de 40%.

Essas são apenas algumas das medidas e ações que desenvolvemos durante estes quase quatro anos. Foi preciso enfrentar as dificuldades financeiras causadas pelo cenário econômico nacional, pela tabela defasada do SUS, pelos atrasos em repasses financeiros do Estado e da União. Mas superamos tudo isso e agora vamos avançar em outras áreas da saúde pública, garantindo uma Blumenau Melhor para todos.